Futuro

Quando formos jovens de novo

Um dia, quando formos velhos Olharemos para trás e nos acharemos Tão imaturos e nos perguntaremos “Meu Deus, que tinhamos na cabeça?“ E desejaremos voltar para fazer de novo Exatamente as mesmas coisas Um dia, quando formos velhos Lembraremos do fogo que nos pegou As labaredas já tão frias na memória E lamentaremos as poucas cicatrizes que […]

Ler Mais

O pretérito do futuro

Eles dançam sem música, os pés mal se movem. Estão tão próximos e apertados nos abraços mútuos que mal podem respirar. — Você lembra quando dançamos na escuridão? — ela sussurra, os olhos úmidos sondando seu rosto. Só a lua cheia clareia cinzenta a varanda. Os mosquitos zombem, as cigarras cantam. Uma brisa sopra sobre […]

Ler Mais

Outro mundo

A Maria do Carmo é ingrata e egoísta. Mas, também… quem não é, né? Ela não tinha mais que 13 anos de idade quando foi acolhida por dona Bianca. O pai desabilitado, a mãe dividida entre dois empregos mal pagos e três irmãos menores com choramingos agudos. Dona Bianca, como só podia, sentiu pena dos olhinhos […]

Ler Mais

Um novo início a qualquer momento

Uma lareira não aquece sem fogo, especialmente, quando não tem lenha. Mas não há homens na casa para cortá-la e provavelmente nunca mais haverá. Ela olha pela janela e vê as folhas apodrecidas acumuladas no chão, sinal derradeiro do inverno que se aproxima. A casa de madeira que seus sogros construíram mal será capaz de […]

Ler Mais

A idolatria da palavra e do espelho

Quando eu era adolescente, não tinha coragem de usar coisas muito fofas ou valiosas que comprava e ganhava. Papéis de carta, bloquinhos, diários, agendas, joias, fronhas de seda, sapatos, cosméticos… o que fosse. Era com muito desgosto que, anos depois, descobria esquecido em alguma gaveta aquilo que guardara, com tanto carinho, amarelado pelo tempo, vencido, […]

Ler Mais

Um último adeus

A última lembrança que tenho sua, embora não a mais forte, é daquela despedida casual e descuidada, beijos rápidos na bochecha e um “até breve” sincero. Veríamo-nos tão logo, delongas não eram necessárias, lágrimas não seriam derramadas, nem sequer um minuto gasto para memorizar últimos olhares. Acordei numa manhã ao som de agitação e desespero […]

Ler Mais