Futuro

A benção e a sina da palavra escrita

Escrever para quê? Frequentemente preciso encontrar respostas para essa pergunta. Por que sinto a necessidade de escrever? É uma questão muito difícil de responder e, mesmo assim, é uma indagação inevitável que todo escritor se faz. Porque possivelmente não há nenhuma outra atividade que seja, ao mesmo tempo, tão prazerosa e tão torturante quanto essa.

Ler Mais

A Casa dos Espelhos (ou “O porquê de eu te amar”)

Ela não entendia como eu era capaz de amá-la. Tentei contar a verdade, mas não consegui. Às vezes, parece que existe uma distância quase impossível entre os sentimentos mais profundos e os verbetes do dicionário. Aí só nos restam gemidos inexprimíveis. Ou histórias. E essa é a história de porquê a amo: Era uma vez, […]

Ler Mais

Ai, Virginia Woolf, assim você me mata

ou Porque calar-se dói nos ossos ou Mais uma voz entre um milhão  ou Medíocre, mas feliz O dilema:  Eis a questão. Ando a torturar-me com a ideia e a prática de tentar finalmente escrever um livro até o fim. Mas, a questão verdadeira é: escrever  Fama e prestígio? Dificilmente. Para fama e prestígio no Brasil melhor dançar axé ou […]

Ler Mais

Os beijos que nunca dei

É uma quinta-feira comum. Você coloca a mochila nas costas, com nossos materiais de estudo. Eu pego a minha bolsa e nossa garrafinha de água compartilhada. Subimos nas bicicletas e pedalamos impulsionados pela fome (afinal, é hora de almoço) depressa para casa. Eu sempre sigo, sem meditar a respeito, olhando para o pneu da sua […]

Ler Mais

A beleza da sua improbabilidade

Deveria tombar, mas não tombava. Não parecia possível, nem ao mesmo lógico que permanecesse. Mas por anos, décadas talvez, cresceu inabalável. O lugar onde se localizava era um dos mais maravilhosos que eu já havia visto: o lago Königssee, considerado o mais cristalino da Alemanha e uma das vistas mais fantásticas do mundo. Ele se […]

Ler Mais

Dessa vez vai!

Oi, primeiros visitantes! Tudo bem com vocês? Quando eu falei que ia criar um blog inspirada pelo sucesso de pessoas chegadas, meu irmão riu de mim. “Que coisa nova pra você, né?” x) É. A verdade é que já tenho blogs (isso, no extremo plural) há quase 10 anos, mas nunca postei regularmente e nunca […]

Ler Mais