15 de novembro de 2014

Dia 2 #30diasdegratidão


Dia 2: Tomar café da manhã com mulheres que posso ter orgulho de conhecer. 

Hoje alguém mencionou que, depois de um tempo na Alemanha, quando a gente percebe que uma mulher na rua é brasileira, a gente procura passar longe e não demonstrar que a gente também é…

É que infelizmente a mulher brasileira não se tornou conhecida na Alemanha por sua gentileza, por sua determinação, por seus talentos ou simpatia. Termos mais associados a ela são promiscuidade, fofoca, desequilíbrio emocional, materialismo, rivalidade, inveja, exibicionismo, arrogância etc.

Sou grata que conheço muitas mulheres que me fazem saber que isso não é regra.

Conheço mulheres das quais tenho orgulho de conhecer.

227756_10150169248759326_356063_n-2_FotorMulheres que se esforçam para ajudar umas as outras. Mulheres que prezam amizade, companheirismo, lealdade. Mulheres com ideais e sonhos, mulheres batalhadoras, humildes, doces. Mulheres que se complementam nas suas diferenças, mulheres que servem sem pedir nada em troca, mulheres com as quais quero aprender, mulheres com quem posso rir e chorar, mulheres imperfeitas, mulheres que erram feio, mulheres que pisam na bola, fazem loucuras, mas mulheres que se arrependem, que se transformam para melhor, mulheres que crescem, que aprendem, que perdoam, que amam e se fazem vulneráveis.

Um abração a essas mulheres que me dão a honra da amizade e da companhia. Obrigada por ceder um espacinho no coração de vocês e por me ensinar tanto.

  • Infelizmente isso também acontece aqui na Austrália, com brasileiros no geral – homens e mulheres. Fico feliz por você ter achado “tesouros peculiares” por aí. ;)

  • wania Braganca

    Que lindo e que bom ter estado junto nesse dia de café das mulheres tao gostoso com mulheres preciosas. Te amo minha escritora predileta.