2 de setembro de 2009

Maria Antonieta: mais vestidos e chapéus

Os filmes da Sofia Coppola, a julgar por Encontros e Desencontros e Maria Antonieta, podem ser apreciados sem prejuízos se vistos sem som. As paisagens, as decorações, a localização, as roupas, os diferentes ângulos, as luzes… todas essas coisas são as verdadeiras atrações dos filmes. Espectadores normais se entediariam  talvez após algumas horas de imagens bonitinhas, outros saberão apreciar a beleza e jamais se cansarão. Confesso que fiquei absorta durante todo o tempo que assisti Maria Antonieta e nunca me entediei, embora nao possa me lembrar de uma única fala do filme… bem, exceto a que a rainha nega algum dia ter falado “Que comam brioches”. (Foi definitivamente a parte mais chocante do filme).

Detalhe interessante: Maria Antonieta era contemporânea e amiga de Georgiana, Duquesa de Devonshire. Versailles no entanto era ligeiramente mais extravagante que Devonshire.
Provavelmente eu jamais usaria essas roupas (pelo desconforto), mas ainda as acho maravilhosas e acho uma pena que nós, mulheres, nos submetemos a tantos inconvenientes desnecessários em nome da beleza e desprezamos esses vestidos e chapéus e luvas e meias e sapatos e todo o resto!

Aqui segue uma amostra do filme:

Vale notar que a própria Maria Antonieta era a favor de looks mais naturais: menos maquiagem, menos enchimento e menos espartilho. A sociedade em que ela estava, no entanto, achava isso indigno para uma rainha. Sociedades, bah!