2 de setembro de 2009

Maria Antonieta: mais vestidos e chapéus

Os filmes da Sofia Coppola, a julgar por Encontros e Desencontros e Maria Antonieta, podem ser apreciados sem prejuízos se vistos sem som. As paisagens, as decorações, a localização, as roupas, os diferentes ângulos, as luzes… todas essas coisas são as verdadeiras atrações dos filmes. Espectadores normais se entediariam  talvez após algumas horas de imagens bonitinhas, outros saberão apreciar a beleza e jamais se cansarão. Confesso que fiquei absorta durante todo o tempo que assisti Maria Antonieta e nunca me entediei, embora nao possa me lembrar de uma única fala do filme… bem, exceto a que a rainha nega algum dia ter falado “Que comam brioches”. (Foi definitivamente a parte mais chocante do filme).

Detalhe interessante: Maria Antonieta era contemporânea e amiga de Georgiana, Duquesa de Devonshire. Versailles no entanto era ligeiramente mais extravagante que Devonshire.
Provavelmente eu jamais usaria essas roupas (pelo desconforto), mas ainda as acho maravilhosas e acho uma pena que nós, mulheres, nos submetemos a tantos inconvenientes desnecessários em nome da beleza e desprezamos esses vestidos e chapéus e luvas e meias e sapatos e todo o resto!

Aqui segue uma amostra do filme:

Vale notar que a própria Maria Antonieta era a favor de looks mais naturais: menos maquiagem, menos enchimento e menos espartilho. A sociedade em que ela estava, no entanto, achava isso indigno para uma rainha. Sociedades, bah!

  • É, esse filme é muito bom mesmo, visualmente falando – porque da história eu nem lembro muita coisa! ;p
    Mas lembro que fiquei babando nos vestidos e acessórios dela… tudo de maravilhosos! Quero pra mim! :D

  • Eu gostei muito desse filme. Fiquei pasma de ver uma rainha endividada porque perdeu dinheiro no jogo. Como pode uma rainha se endividar, minha gente?

    Tenho que ver esse filme de novo enquanto Versailles ainda está fresca na minha cabeça.

    palavra de verificação: ‘frete’ > kkkkkk

  • Anonymous

    Ah, me esqueci, a trilha sonora dos filmes de Sofia Coppola é matadora, adoro! Ouça a trilha que o grupo francês Air criou para “As virgens suicidas” :)
    Paula A.S.

  • Anonymous

    Nossa, menina, desde que conheci seu blog pelo Jane Austen em Português, sempre dou uma passadinha aqui! Sou muito fã de Sofia Coppola, que tem uma história de superação linda. A “menina feia e péssima atriz que quase destruiu um filme do pai, Francis Ford Coppola”, segundo a crítica, virou uma ótima cineasta!
    Paula A.S.