2 de julho de 2012

O que nos mantém vivos

Ao voltar de trem para casa, neste domingo, passei por cenários indescritíveis.

Extensos campos dourados de cevada, montanhas, castelos e torres medievais, florestas densas, um pôr-de-sol laranja vivo, coelhinhos correndo pela campina e casinhas idílicas com telha e chaminé.

Incapaz de colocar em palavras toda a beleza que via, me remexia no assento questionando as minhas limitações artistícas para preservar o momento único.

Existem pessoas que sabem pintar. Outros, capturam a essência das coisas em fotografias. Outros conseguem descrever coisas de uma forma tão única que nos sentimos lá.

O resto de nós não tem onde esvaziar a beleza. Vamos nos enchendo, enchendo dela, como um balão de ar até o ponto de quase explodir. Ao menos, é como eu me senti. Estufada de admiração. Precisava extravasar, mas não existiam palavras dignas em meu vocabulário para tanto.

Inconformada, reclamava com Deus da injustiça de tudo isso. Por que alguns conseguem expressar o que precisam e outros não? Tanta beleza acumulada nos sentidos e trancada dentro de si dói demais. Será que é possível morrer de excesso de maravilhamento?

Aí veio a resposta Dele, como um toque no meu rosto de forma bem delicada.

Ah, então entendi. Foi por isso mesmo que Ele inventou a lágrima.

  • Uma vez li que a melhor forma para aprender a escrever é escrevendo. Só consegui isso quando resolvi desligar a auto-censura excessiva e simplesmente começando. Por isso, antes o blog era chamado “Laboratório de letras”, porque era só pra testar, fazer “experimentos” de expressão :)

  • Que legal, Edson :D Obrigada, mesmo. Eu já tinha notado a palavra, mas como é uma contracapa de mentirinha e eu não tenho mais o arquivo PSD nem Photoshop, deixei pra lá :) Também não achei que mais alguém fosse notar x)

  • Não mesmo, eu percebi quase todas as mudanças por aqui, e você está de parabéns, o blog tá super. Só quero te dizer que há uma palavra errada lá na contracapa do seu livro sobre a cerejeira ok?
    Ah, adoro o “frases da semana”. :)

  • Que perfeição. Sinceramente é um lindo texto.E nossas limitações artisticas sempre nos deixando às lágrimas, isso é bom pois nos leva a melhorar em nossa capacidade de nos expressarmos. Não, eu não consegui expressar tudo o que eu queria.Preciso de mais textos como esse para treinar.

  • Não tem de quê :) 

  • hey Mima, amei ler esse texto que traduziu exatamente o que senti ainda ontem num passei de barco pelo litoral, obrigada!

  • Pena que com toda beleza, se não tomamos devidas precauções, nos acostumamos e paramos de enxergá-la. Passo por esse trecho de trem quase toda semana e só nesse dia resolvi notar. Em todo canto, em todo mundo, tem coisas lindas pra se admirar. Só é preciso procurar.
    P,s, Acho que você é a única que notou a mudança ;)

  • Rebeca Lima Teixeira

    Lindo texto! E lindo lugar. Deve ser uma coisa maravilhosa morar aí.
    Como tambám não tenho habilidade para esvaziar a beleza, me contento com um suspiro.
    Beijinhos e até mais!
    P.S.: Adorei as mudanças no blog! Tá tão divertido isso aqui. Esperando ansiosa pelas coisas em andamento.