1 de fevereiro de 2009

Top 10 coisas que sinto falta do Brasil

Existem algumas perguntas que me perseguem desde que mudei para a Alemanha:
“Você nao tem vontade de voltar para o Brasil?”
“Você nao sente saudade do Brasil?”
“Nao é frio demais aí?”

Well, duh. O Saraiva faria uma festa se estivesse no meu lugar. Eu, como sou um doce de menina, quer respondo educadamente “anram”, quer ignoro bem simpaticamente a pessoa.

O Brasil é onde eu nasci. Para mim, sempre vai ser o lugar com a melhor comida, o melhor clima, as melhores pessoas, os melhores costumes, as melhores roupas, os piores políticos etc. Sempre terei saudades.

Mas, é claro, a cada lua nova a saudade se exacerba e desejos por coisas tipicamente brasileiras vem a tona. Falei “desejos”? Quis dizer compulsoes desesperadoras do tipo que me fazem sempre lancar um “meu bebê vai nascer com cara disso…”. Aqui estao, sem ordem específica, as top 10 coisas que mais me fazem falta do Brasil:

(ah, amigos e família nao contam, né?)

1. Rodízio de carne

Comer até passar mal nao faz o estilo dos alemaes, mas é bem meu estilo. Carne de vaca, entao, que é raridade e extremamente cara, só se tem em casa de forma racionada, moída e misturada com porco.

O que eu nao daria por um churrasquinho! Picanha, Cupim, Maminha, Alcatra . . . Só os “selvagens” da América do Sul sabem como cortar o boi. Só eles sabem tempera-la. Só eles sabem come-la. ='(

2. Pastelzinho na Praia

Quando eu mudei para Santos eu já era crescida, mas logo me converti aos pastéis na praia. Extremamente gordurosos e certamente nada saudáveis, os pastéis de Santos sao a tentacao que sempre me vence (estou com água na boca só de lembrar). Caminhando na orla, com as costas queimando debaixo do sol… hmmm, um pastelzinho com guaraná (ou caldo de cana pros corajosos) na barraquinha. Meu favorito é o sabor pizza: queijo, tomate e óregano. O céu na terra.

Falando em pizza…

3. Pizza

Sei, você vai dizer, “Mas, Mima, pizza é coisa da Itália, você nao sabe?”. A pizza da Itália é da Itália, a pizza brasileira, assim como a alema e a iraquiana, sao coisas totalmente diferente. Ir comer uma Marguerita na Itália pode ser a coisa mais chique prum brasileiro, mas se é sabor para o paladar brasileiro que se quer, qualquer pizzaria de esquina já dá um banho nos bambini.

Aqui na Alemanha, por tudo eles metem wurst (salsicha/linguica) e a maldita da paprika. De Catupiry que é bom eles nunca ouviram nem falar. Borda recheada também nao.

4. Salgadinhos (coxinha, esfiha, kibe…)

Se nao fosse por uma amiga brasileira que mora aqui e vende salgadinhos, acho que eu já tinha voltado para o Brasil, xD Fala a verdade, aniversário sem coxinha, nem esfiha, nem kibe, nem empada, nem croquete, nem bolinha de queijo?! Nao dá. Impossível. Intolerável. Inconcebível!

Festa alema em geral nao tem graca. Você vai comer cachorro-quente (com uma salsicha que eu nao gosto), batata chips (com paprika), nachos (com paprika) e paprika. Tudo isso regado a galoes de cerveja. Bem, talvez depois de galoes de cerveja a combinacao nao fique mais tao intoleravel… (Afinal, o que permanece intoleravel depois de galoes de cerveja?)

Se você mora na Alemanha e quer salgadinhos brasileiros, escreve para mim que passo o e-mail da minha amiga, porque os salgadinhos dela sao maravilhosos e baratinhos ^^ So lecker.

5. Comidas nordestinas

A maioria dos meus conterraneos nao sente a mesma necessidade que eu por comida da terrinha, ou por nao serem nordestinos, ou por serem bobos, hauhauauha (brincadeirinha!!)

Já que eu passei a maior parte da minha infância em Pernambuco e na Paraíba, nada diz mais comfort food que a cozinha da minha avó em Joao Pessoa.

No café da manha, tapioca, pao com manteiga na chapa, frutas como só lá tem (melancia, manga e abacaxi suuuuper suculentas e doces). No almoco, feijao verde, arroz, carne de sol, macarrao, manga, abacaxi, melancia (é, tudo junto). No jantar, macaxeira ou inhame com manteiga de garrafa e carne de sol. Ou cachorro-quente paraibano: o completo, é pao, salsicha e carne-moída. O básico é só pao e carne-moída, hauhaua.

Ah, e água de coco! Nao tem em nenhum lugar igual. Em Joao Pessoa, na minha época, se comprava 15 cocos por 1 real, ^^. Na casa da minha avó tinha um coqueiro, entao nem precisava.

6. Biscoito de chocolate Bono

É doce, recheado e é chocolate. ‘Nough said.

7. Calor, calor, calor!

A gente se cansa da pergunta “Tá frio aí?”. Vou simplificar as coisas. Se é inverno, está frio. Se é outono, está frio. Se é primavera, provavelmente está frio. Se é verao, nao está frio.

SIM, nós temos calor aqui! Calor sufocante, agoniante, úmido. Calor que incha as pernas, que nos cozinha, que frita ovo na calcada!

Bem, ao menos uma semana ao ano fica assim, x)

O problema sao as outras 51 semanas do ano. Saudade de poder sair de casa sem caxecol, gorro, luvas, duas camadas de calcas, tres camadas de blusas, casaco pesado, meia de la, bota… ah, é tudo tao pesado e chato e sem graca. Saudade de usar vestidos de verao, blusinhas de alcinha, tomar banho de mangueira, tomar banho de sol, suar, se queimar, passar mal xD Tomar Coca-cola com o objetivo de se refrescar, ao invés de simplesmente usufruir da cafeína…

Além de tudo, tem a neve, que todo mundo acha que é a coisa mais perfeeeita do mundo. Tá, a neve é linda, até dois dias depois que nevou. Depois ela fica preta, dura e escorregadia, igual ao gelo na feira de peixe na esquina da sua casa.

8. Vendedores puxa-saco

É regra geral que atendente e vendedor na Alemanha age como se fizesse um favor ao cliente. Aliás, eles sao tao bons na arte do desservico que a gente até acredita neles. Tenho medo de pedir informacao porque sao todos mal-humorados e nos olham da cabeca ao pé com um olhar desconfiado.

No Brasil, é só ir comprar sapato para se sentir rei. A gente jura que nao quer ver mais nenhum par, mas lá vem o vendedor metendo os nossos pés dentro do sapato, mostrando as vantagens de se pagar mais caro. Todo mundo dá informacao, mesmo sem a gente pedir. “Quer um café? Um copo de água? Quer sentar? Alguém para te abanar?” Servico assim aqui nao existe. Esse pessoalzinho de terceiro mundo que quer agradar ao cliente, tsc tsc. ;)

9. Filmes legendados

Ahhh, alguém aperta a tecla SAP, please! Acostumada do jeito que eu estava a ir no cinema, no mínimo, uma vez por semana, vir para a Alemanha foi um verdadeiro choque. Eu nao sabia que ia sofrer nessa área porque falo inglês e filme americano tem em todo o mundo, certo? Mas, eu nao sabia que os alemaes eram os maiores advogados do estilo Sessao da Tarde de ser.

Aqui em Karlsruhe, filme legendado é o item mais raro de todos os que mencionei aqui. Uma (só UMA!) sessao por semana no cinema tem a tal da original version, que é o filme no idioma original para estudantes de inglês praticarem. Fora isso, nie, never, nunca. E o filme é dublado em alemao, entao já sabe…

10. Água sem calcário

A propaganda da água na Alemanha é assim: “Sua maior fonte natural de cálcio“. AHN?! Pois é, aparentemente se você beber água diretamente da torneira, você pode até parar de roubar o alimento dos bezerrinhos.

Mas, fora a luta contra a osteoporose, água com calcário nao tem nada de bom. Assim como no Brasil tudo é culpa do Lula, na Alemanha é tudo culpa do kalk.

Sinto falta de poder tomar banho sem pensar que estou virando uma uva passa. Hidratantes sao uma verdadeira necessidade. A pele sofre, os cabelos sofrem absurdos, a água tem gosto ruim, o chá amarga, ela deixa um resíduo branco difícil de tirar em tuuudo… enfim… o Brasil é muito feliz nessa área.

* As patricinhas de plantao vao falar “ahhh, mas aqui no Brasil hidratantes também sao necessidade”. Sei, amores, blush e salto alto também sao. ;)

[white_box]Deu fome? Compare AQUI preços de salgados no Brasil.[/white_box]